Servos sofredores

Servos sofredores

Primeiro quero falar sobre sermos servos.

A Bíblia diz em 1 Pedro 4:10: “Sirvam uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como encarregados  de administrar bem a multiforme graça de Deus”. Sendo assim, aprendemos que tudo o que recebemos não é nosso, não é só para nós, mas para servir a Igreja; para servir ao povo! Se recebemos algo de Deus e não derramamos isso, nem dispensamos os dons, somos como servos infiéis egoístas e individualistas. 

Uma vez eu aprendi com a Ana Cardoso que tudo o que há em mim de bom vem de Deus e isso é verdade! O que eu tenho não é por meu mérito, mas sim pela graça e misericórdia de Deus, logo, não posso reter. Preciso cooperar com o Corpo de Cristo.

Se a Bíblia nos ordena a servir uns aos outros, porque somos negligentes com isso? Se dizemos que amamos nossos irmãos, por que não os servimos para que cresçam e prossigam no conhecimento de Deus e das Escrituras?

“Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso está pecando.” Tiago 4:17

E por que sofredores? Porque servir não é uma coisa fácil, não é tão da nossa natureza ainda e nem sempre é legal. Servir nos custa! Custa nossa reputação, tempo, dinheiro, conforto e nossa privacidade.

Quando olhamos para Jesus, vemos várias vezes Ele se humilhando em prol do outro. E isso não quer dizer que Jesus estava se fazendo de coitado, mas que Ele estava mostrando como era ser um Bom Servo; um Bom Filho.

Jesus é o nosso padrão de sofrer por amor e sofrer por amor não é sofrer porque você terminou seu relacionamento, não é chorar com uma música triste mas é de fato ter o caráter humilhado; ter o nosso coração moído por um propósito. Nossos olhos não podem se prender ao sofrimento de agora, mas crer que ele está cooperando para a Eternidade.

Precisamos ser aqueles que encontram alegria na tribulação. Quando as pessoas nos olham em algum momento de tribulação elas veem paciência e perseverança? Será que encontramos satisfação em Jesus em meios as tribulações, em meio a humilhação, em meio aos processos? O que esperamos do Evangelho?

Pregar sobre ser um servo sofredor não é nada atrativo. Jesus nunca disse que tudo ia ser o tempo todo bom e confortável. O que Ele sempre alertou é que ia ter tribulações, dias maus e que iríamos ser perseguidos e humilhados, mas que nada se comparava a glória de conhecê-Lo.

“Chamando os apóstolos, açoitaram-nos e, ordenando-lhes que não falassem em o nome de Jesus, os soltaram. E eles se retiraram do Sinédrio regozijando-se por terem sido considerados dignos de sofrer afrontas por esse Nome.” Atos 5:40-41

“Na verdade, considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. Por causa dele perdi todas as coisas e as considero como lixo, para ganhar a Cristo e ser achado nele, não tendo justiça própria, que procede de lei, mas aquela que é mediante a fé em Cristo, a justiça que procede de Deus, baseada na fé. O que eu quero é conhecer Cristo e o poder da sua ressurreição, tomar parte nos seus sofrimentos e me tornar como ele na sua morte, para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos.” (Filipenses 3:8-11)

Entenda que não estou invalidando ou anulando qualquer sentimento e nem dizendo que o foco da nossa vida é somente sofrer, mas apenas trazendo ao entendimento que precisamos estar satisfeitos em Jesus em meios as tribulações! 

Francis Chan, em um trecho do seu livro “Cartas à Igreja”, diz o seguinte: “É possível alcançar um nível de amor tal que desejemos amadurecer até o ponto de querer esse mesmo tipo de intimidade, no qual nos sintamos pregados na Cruz bem ao lado de Cristo. Ainda que perdesse tudo – reputação, conforto e bens -, você contaria essas coisas como lixo por saber que não são nada comparadas à benção de conhecer Jesus. a importância da provação está em que, por meio dela, nós conhecemos mais a Cristo. Conhecemos o Poder de Sua Ressurreição e comunhão que há em seu sofrimento.” Em meio a tempos difícies, eu te convido a encontrar alegria no processo e que, principalmente, encontremos o Senhor em meio às dores e tribulações!

Faça um comentário

Live Reply

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados